Concurso PRF: nome da banca aguarda procedimentos legais

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) confirmou que o nome da banca organizadora do seu novo concurso público depende apenas de alguns procedimentos legais para que possa ser anunciado, o que deve ocorrer nos próximos dias. 

Embora fontes extra-oficiais adiantem que a escolhida é o Cebraspe, a empresa somente pode ser efetivamente confirmada quando publicado o extrato de dispensa de licitação em diário oficial. De qualquer forma, o órgão já recebeu um parecer positivo da Advocacia Geral da União (AGU) para a contratação da banca. 

A expectativa é de que o edital de abertura de inscrições será publicado até o final deste mês. Porém, isto agora depende do prazo para o término destes procedimentos finais e efetiva assinatura do contrato com a empresa escolhida.

Embora a autonomia pela realização do concurso esteja sob a responsabilidade do diretor-geral da PRF, Renato Dias, o ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann confirmou que tem mantido contato com Dias, no sentido de acompanhar os preparativos da seleção. Embora a distribuição de vagas por estados ainda não tenha sido divulgada, já está definida, segundo fontes ligadas ao órgão.

Vale lembrar que, desde 14 de agosto, Renato Dias, recebeu, por parte do ministro da Segurança Pública, maior autonomia sobre os procedimentos para a realização do concurso, por meio da portaria 122.

O concurso será para o preenchimento de 500 vagas para o cargo de policial rodoviário. A autorização do concurso, publicada em 27 de julho, determina um prazo de até seis meses para a publicação do edital, ou seja, até 27 de janeiro. Porém, o órgão não deve aguardar este limite para iniciar o certame, tendo em vista que a intenção inicial do ministro da segurança era publicar o edital em junho, o que somente não foi possível em decorrência do impasse pelo aumento da oferta, que acabou atrasando a autorização do MPDG.

De qualquer forma, o quantitativo não deve suprir as necessidades do órgão. De cordo com o diretor-geral da PRF, Renato Dias, a PRF precisa de 3.000 novos servidores, que podem ser convocados pelo aproveitamento de remanescentes do novo certame, independente da oferta imediata de 500 vagas. O motivo é que aproximadamente 2.000 servidores estão em vias de se aposentar até o final do ano. 

(Jornal dos Concursos)

CURSO CARREIRAS POLICIAIS – ACESSE AQUI!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima

Login

Cadastre-se