Banco do Brasil: defasagem já chega a 5.880 postos

O Estado de São Paulo já não possui condições de suprir eventuais necessidades que forem surgindo, nem como promover a manutenção de seu quadro.De acordo com informações divulgadas pela Sindicato dos Bancários e Financiários de São Paulo, Osasco e Região, o Banco do Brasil registrou um lucro líquido de R$ 4.824 bilhões somente no primeiro semestre …

O Estado de São Paulo já não possui condições de suprir eventuais necessidades que forem surgindo, nem como promover a manutenção de seu quadro.

De acordo com informações divulgadas pela Sindicato dos Bancários e Financiários de São Paulo, Osasco e Região, o Banco do Brasil registrou um lucro líquido de R$ 4.824 bilhões somente no primeiro semestre de 2016.

Ainda assim, mantém a justificativa de crise econômica para postergar a realização de novos concursos públicos para reposição de pessoal.

Ainda de acordo com dados do sindicato da categoria, embora o total de lucro seja 45,3% menor que o mesmo período em 2015, a diminuição se deve à criação do Cateno, da qual o banco participa com 50% por meio dos cartões ELO, o que impulsionou os resultados no ano passado.

O diretor executivo do sindicato e funcionário do BB, Cláudio Luis, ressalta que o banco tem condições de atender às reivindicações da categoria e, neste sentido, no último dia 11 de agosto foi entregue, à diretoria da instituição, a pauta para discussão do acordo aditivo à convenção coletiva de trabalho.

Segundo o sindicalista, um dos principais pontos é a reposição de vagas em aberto após o Programa de Aposentadoria Incentivada. “O BB deveria gerar empregos bancários, mas ao invés disso está extinguindo postos de trabalho”, diz o sindicalista. Segundo o sindicato, somente no período de junho de 2015 a junho de 2016, a instituição eliminou 2.710 empregos e conta, hoje, com 109.615 empregados, o que caracteriza uma necessidade de, pelo menos, 5.880 postos de trabalho.

Acontece que, de acordo com portaria divulgada em 23 de setembro de 2015, pelo Departamento de Coordenação e Governança das Empresas Estatais (Dest) do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (MPOG), o quadro de pessoal da estatal fica determinado em 115.495 servidores.

O Estado de São Paulo é um dos que mais está sofrendo com a necessidade de pessoal, uma vez que não conta com concurso em validade para escriturários desde 8 de maio, quando encerrado o prazo da seleção anterior, de 2013.

Com isto, a instituição já não possui condições de suprir eventuais necessidades que forem surgindo, nem como promover a manutenção de seu quadro.

Desde então, uma posição vem sendo cobrada junto ao novo diretor de gestão de pessoas do banco, José Caetano de Andrade Minchillo, que assumiu o posto em abril.

Além de São Paulo, o concurso de 2013 também inclui as regiões de Alagoas, Bahia, Distrito Federal, Goiás, Mato Grosso do Sul, parte de Minas Gerais, Pará e Tocantins.

Mesmo com a grande necessidade, a instituição ainda não definiu uma previsão de quando pode liberar o edital do próximo concurso, uma vez que existe uma seleção com prioridade, para preenchimento de vagas em seis estados, cuja validade do certame anterior encerrou em setembro de 2015.

Neste caso, abrange os estados de Espírito Santo, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e parte do Amazonas.

Fonte: Jornal dos Concursos/UOL

FAÇA SUA MATRÍCULA NO CURSO ONLINE BANCO DO BRASIL, ACESSE AQUI!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima

Login

Cadastre-se